Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Viva a incompetência!

 

É este o nome do primeiro (e único) artigo que vou escrever sobre o que se passou em Portugal este verão.

 

Toda a gente sabe o que se passou! 

 

Falou-se muito e continua-se a falar!

Aliás em Portugal fala-se muito, mas faz-se pouco.

 

Em Junho de 2017 aconteceu algo único e que deveria ter servido de exemplo.

Incêndios, esses acontecem todos os anos infelizmente.

Mas mortes?!

 

Em anos passados chegava uma mão para contar as pessoas que morriam num incêndio. E geralmente essas pessoas eram apenas bombeiros, que apanhados pelas chamas, ou morriam no local ou não resistiam aos ferimentos no hospital.

 

Uma, duas, três mortes. Era esta a realidade com que nos deparávamos no passado!

 

Motivo de orgulho? Claro que não!

 

Razão para combatermos este flagelo e evitar que todos os anos o mesmo cenário se repetisse!

 

Mas não! 

Já diz o ditado "não deixes para amanhã, aquilo que podes fazer hoje".

 

Mas em Portugal esse ditado é só mesmo uma frase feita. Poucas pessoas a cumprem!

 

Nunca foi dada devida atenção aos danos pessoais e materiais que os incêndios, anos após ano, trazem a tantos portugueses!

 

Nunca!

 

E por isso mesmo, se até 2016, em todos os verões, havia dezenas de portugueses a perder o trabalho de uma vida, as suas terras, as suas casas, os seus animais, então o principal responsável é só um!

 

O responsável é quem manda neste país!

 

Ao londo das décadas, os principais responsáveis pelos estragos que os incêndios vieram a causar, são aqueles que nos governam!

É o partido que está no poder!

 

Até uma criança de dez anos sabe como é que se poderia reduzir drasticamente o número e o impacto dos incêndios em portugal!

Em vez de se gastar dinheiro em auto-estradas inúteis, aplicava-se um quinto desse dinheiro na proteção, planeamento e vigia de tudo o que é zona florestal!

 

Mas não aconteceu!

 

E por isso ano após ano, todos os verões, já se sabia o ia acontecer!

Nenhuma novidade!

 

Mas isto foi até 2016!

 

Este ano a história foi outra...

 

Este ano...

Foram mais de 500 mil hectares de área ardida...

Mais de metade da área ardida na União Europeia! 

 

Alguém tem noção do que são 500 mil hectares?

Um campo de futebol tem cerca de um hectar!

São 500 mil campos de futebol...

Lisboa, a capital de Portugal, tem 10 mil hectares...

 

É preciso mais algum exemplo?! Penso que não... dá para ter noção do que ardeu!

 

Mas o problema não foi o que ardeu...

 

Este ano o principal problema foi outro!

 

Em Junho de 2016 as regiões de Pedrogão Grande e Castanheira de Pêra foram completamente dizimadas por incêndios.

 

Mas não foi só floresta que se perdeu..

 

Perderam-se 65 vidas humanas! Sessenta e cinco...

 

Perderam-se centenas de animais...

 

Perderam-se dezenas e dezenas de casas...

 

Isto a juntar aos milhares de hectares ardidos...

 

Algo nunca visto, algo impensável!

Algo que exigia uma tomada de posição rápida e medidas urgentes!

 Afinal de contas, Julho e Agosto ainda não tinham chegado!

 

Era isso que se esperava! Uma prevenção e um planeamento rápidos para evitar que algo semelhante pudesse acontecer semanas ou meses depois!

 

Julho passou. Agosto também! E nada de realmente significativo se registou! Falo obviamente ao nível de mortes...

 

Setembro chega também ao fim e o governo decide dar por terminado o período de vigilância aos incêndios!

 

Uma medida que mereceu alguns reparos na altura, uma vez que se continuavam a registar temperaturas muito elevadas e as previsões não apontavam para uma mudança, no que às condições climatéricas dizia respeito.

 

Ora, duas semanas depois do início de Outubro, Portugal vê-se novamente envolto numa série descontrolada de incêndios. Algo nunca visto, de tal maneira que foi mesmo considerado o pior fim de semana do ano!

 

Nas notícias começavam a surgir relatos de pessoas a fugir aos vários incêndios que deflagravam de norte a sul, as imagens que a comunicação social começava a transmitir mostravam mais uma vez momentos de inferno vividos por populares, bombeiros e animais.

 

As primeiras mortes confirmadas apareceram!

 

Começou a perceber-se que o que se tinha passado em Junho se estava a repetir!

 

Resumo: 45 mortes, aldeias destruídas, centenas de casas em cinzas, milhares de animais mortos, centenas de milhares de hectares ardidos!

 

Foi isto que se voltou a passar! 

Uma verdadeira vergonha! 

Não há palavras para descrever a falta de qualidade das pessoas que lideram este país!

 

E o principal responsável por aquilo que aconteceu chama-se antónio costa, que nem merece que eu escreva o seu nome com letras maiúsculas.

 

Se em Junho ainda se admitia o benefício da dúvida, deixar que o mesmo erro se repetisse não tem qualquer tipo de perdão.

Este duplo erro tirou a vida a mais de 100 pessoas! O resto nem é importante comparado com vidas humanas.

 

O mínimo que se esperava era pedir desculpas e demitir-se...

 

Mas nem um pedido de desculpas e um assumir da culpa foi capaz de fazer em condições!

 

Quanto mais falar em demissão! Nem se esperava mais de alguém que fez de tudo para chegar ao "poleiro". 

 

Mas para resumir a incompetência de quem nos governa, deixo aqui uma música cantada por Fausto Vasconcellos, ao ritmo de Coldplay.

 

Está lá tudo o que interessa!

Reflitam!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38



Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D