Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mais uma edição da Volvo Ocean Race em Portugal!

 

A competição mais importante de barcos à vela volta a incluir Portugal e Lisboa na sua rota!

 

Está de 31 de Outubro a 5 de Novembro em Algés, perto da Fundação Champalimaud!

 

Hoje é por isso, o último dia e aconselho quem não foi ainda ou não sabe do que se trata a passar por lá!

Será uma excelente maneira de aproveitar o domingo, seja com os pais, com os filhos, com a namorada ou com a avó!

 

O que poderão lá encontrar?

 

Tanta coisa!

 

Barcos à vela absolutamente gigantescos, como nunca viram na vida, esplanadas, música eletrónica, demonstrações de carros da Volvo, ou não fosse a Volvo o patrocinador oficial!

Há também espaços para crianças, demonstrações de como velejar e dezenas de lojas com produtos oficiais das várias equipas que participam nesta competição.

 

Entre muitas outras coisas...

 

É obrigatório passar por lá!

 

Ainda vão a tempo...

 

20171104_153951.jpg

20171104_154113.jpg

20171104_154225.jpg

20171104_154330.jpg

20171104_154430.jpg

20171104_154531.jpg

20171104_154929.jpg

20171104_160746.jpg

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

mapa.JPG

 volvo.JPG

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:11

Toda a gente conhece a história do Pedro e do lobo!

 

Aquele conto que ouvimos em criança, em que os nossos pais nos tentam fazer ver que a mentira nunca é o melhor caminho!

 

Mas para quem não se recorda, a história é muito simples e fácil de perceber.

 

Basicamente o Pedro era um pastor que tomava conta do seu rebanho de ovelhas. Certo dia decidiu pregar uma partida aos fazendeiros que viviam nas redondezas e começou aos gritos a pedir socorro porque um lobo estava a atacar as suas ovelhas!

Os fazendeiros vieram para o ajudar, mas perceberam que tudo não passava de uma partida. O Pedro riu-se daquilo que tinha feito e os fazendeiros foram-se embora aborrecidos!

Uns dis depois, o Pedro voltou a fazer o mesmo e novamente os fazendeiros foram enganados!

Até que quando um lobo realmente apareceu e o Pedro apavorado pediu ajuda, os fazendeiros pensando que era mais uma partida não apareceram!

 

É este o resumo da história!

 

E que raio tem isto a ver com o urban?!

 

Bem, a discoteca Urban Beach em Lisboa está nestes últimos dias no radar da comunicação social! Toda a gente teve acesso ao vídeo de agressões brutais a dois jovens!

Algo altamente reprovável e condenável!

Comportamento injustificado e que tem de ser punido! Até aí todos de acordo!

 

Então e que relação existe entre isto e o Pedro e o Lobo?!

 

Então vou tentar explicar o meu raciocíonio!

 

Sendo eu um rapaz de Cascais, conheço muito bem a discoteca Urban!

 

O Urban existe há pouco mais de seis anos!

É de longe a maior e melhor discoteca de Lisboa e o seu começo entroncou precisamente no início da minha vida noturna, por assim dizer!

 

Mas como tudo tem aspetos negativos!

 

A geração entre 92 e 96 sobretudo, que vive entre Cascais e Lisboa, sabe muito bem o que se passa no Urban!

 

O vídeo que veio a público é muito pouco comparado com situações com as quais eu já me deparei e com cenas que aconteceram e que me foram contadas por amigos ou conhecidos!

 

Para quem ficou chocado com o vídeo partilhado milhares de vezes nas redes sociais, não ficaria tão chocado se fosse cliente assíduo do espaço!

 

Desde fecharem rapazes em salas escuras no interior da discoteca e baterem-lhes até os deixarem inconscientes até baterem em raparigas à frente de tudo e todos, os seguranças do Urban (ou oferecidos pela empresa PSG ao urban) sempre foram assim!

Nem todos, mas há muitos que são! E por isso, sabendo-se disso, a melhor maneira de evitar problemas desnecessários é ser correto com eles e não nos esticarmos!

Por isso, eu pessoalmente, nunca tive um único problema com nenhum deles!

 

Mas mais uma vez, porque é que trouxe a história do Pedro e do Lobo?!

 

Comecei por essa história, porque no episódio divulgado recentemente os seguranças estavam a agir em prol dos clientes!

 

Os dois indivíduos que aparecem no vídeo e que são agredidos, são jovens desordeiros que vão para o Urban quando as pessoas começam a sair com o objetivo de arranjar confusão!

Há algumas semanas, que esse jovens vão para lá com esse propósito!

Naquele dia em concreto, estavam a arranjar confusão com as pessoas que estavam na fila para comprar um hamburguer ou um cachorro nas roulotes que existem à frente do Urban!

Ora, houve pessoas que foram pedir ajuda aos seguranças, porque a polícia estava como está sempre em casa a dormir!

Os seguranças interviram e fizeram o que todos vimos!

 

Era necessário aquele nível de agressividade? Não, não era!

Mas daquela vez os seguranças não partiram para a agressão porque sim, havia um motivo!

Tiveram que substituir a polícia, que não existia!

 

Tiveram azar! Foram filmados...

 

E ainda tiveram mais azar, porque a Jéssica Athayde partilhou o vídeo na sua página de facebook!

Sim, porque foi isso que tornou o vídeo viral!

Já houve muitos conhecidos meus a partilhar vídeos parecidos ou até piores, mas nunca chegaram à ribalta porque ninguém "importante" deu uma ajudinha!

Essa ajudinha chegou desta vez, e ironia das ironias, desta vez eles até tinham um motivo forte para terem agido!

 

Tal como o Pedro, tantas foram as vezes, que ninguém acredita neles agora!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:37

Viva a incompetência!

 

É este o nome do primeiro (e único) artigo que vou escrever sobre o que se passou em Portugal este verão.

 

Toda a gente sabe o que se passou! 

 

Falou-se muito e continua-se a falar!

Aliás em Portugal fala-se muito, mas faz-se pouco.

 

Em Junho de 2017 aconteceu algo único e que deveria ter servido de exemplo.

Incêndios, esses acontecem todos os anos infelizmente.

Mas mortes?!

 

Em anos passados chegava uma mão para contar as pessoas que morriam num incêndio. E geralmente essas pessoas eram apenas bombeiros, que apanhados pelas chamas, ou morriam no local ou não resistiam aos ferimentos no hospital.

 

Uma, duas, três mortes. Era esta a realidade com que nos deparávamos no passado!

 

Motivo de orgulho? Claro que não!

 

Razão para combatermos este flagelo e evitar que todos os anos o mesmo cenário se repetisse!

 

Mas não! 

Já diz o ditado "não deixes para amanhã, aquilo que podes fazer hoje".

 

Mas em Portugal esse ditado é só mesmo uma frase feita. Poucas pessoas a cumprem!

 

Nunca foi dada devida atenção aos danos pessoais e materiais que os incêndios, anos após ano, trazem a tantos portugueses!

 

Nunca!

 

E por isso mesmo, se até 2016, em todos os verões, havia dezenas de portugueses a perder o trabalho de uma vida, as suas terras, as suas casas, os seus animais, então o principal responsável é só um!

 

O responsável é quem manda neste país!

 

Ao londo das décadas, os principais responsáveis pelos estragos que os incêndios vieram a causar, são aqueles que nos governam!

É o partido que está no poder!

 

Até uma criança de dez anos sabe como é que se poderia reduzir drasticamente o número e o impacto dos incêndios em portugal!

Em vez de se gastar dinheiro em auto-estradas inúteis, aplicava-se um quinto desse dinheiro na proteção, planeamento e vigia de tudo o que é zona florestal!

 

Mas não aconteceu!

 

E por isso ano após ano, todos os verões, já se sabia o ia acontecer!

Nenhuma novidade!

 

Mas isto foi até 2016!

 

Este ano a história foi outra...

 

Este ano...

Foram mais de 500 mil hectares de área ardida...

Mais de metade da área ardida na União Europeia! 

 

Alguém tem noção do que são 500 mil hectares?

Um campo de futebol tem cerca de um hectar!

São 500 mil campos de futebol...

Lisboa, a capital de Portugal, tem 10 mil hectares...

 

É preciso mais algum exemplo?! Penso que não... dá para ter noção do que ardeu!

 

Mas o problema não foi o que ardeu...

 

Este ano o principal problema foi outro!

 

Em Junho de 2016 as regiões de Pedrogão Grande e Castanheira de Pêra foram completamente dizimadas por incêndios.

 

Mas não foi só floresta que se perdeu..

 

Perderam-se 65 vidas humanas! Sessenta e cinco...

 

Perderam-se centenas de animais...

 

Perderam-se dezenas e dezenas de casas...

 

Isto a juntar aos milhares de hectares ardidos...

 

Algo nunca visto, algo impensável!

Algo que exigia uma tomada de posição rápida e medidas urgentes!

 Afinal de contas, Julho e Agosto ainda não tinham chegado!

 

Era isso que se esperava! Uma prevenção e um planeamento rápidos para evitar que algo semelhante pudesse acontecer semanas ou meses depois!

 

Julho passou. Agosto também! E nada de realmente significativo se registou! Falo obviamente ao nível de mortes...

 

Setembro chega também ao fim e o governo decide dar por terminado o período de vigilância aos incêndios!

 

Uma medida que mereceu alguns reparos na altura, uma vez que se continuavam a registar temperaturas muito elevadas e as previsões não apontavam para uma mudança, no que às condições climatéricas dizia respeito.

 

Ora, duas semanas depois do início de Outubro, Portugal vê-se novamente envolto numa série descontrolada de incêndios. Algo nunca visto, de tal maneira que foi mesmo considerado o pior fim de semana do ano!

 

Nas notícias começavam a surgir relatos de pessoas a fugir aos vários incêndios que deflagravam de norte a sul, as imagens que a comunicação social começava a transmitir mostravam mais uma vez momentos de inferno vividos por populares, bombeiros e animais.

 

As primeiras mortes confirmadas apareceram!

 

Começou a perceber-se que o que se tinha passado em Junho se estava a repetir!

 

Resumo: 45 mortes, aldeias destruídas, centenas de casas em cinzas, milhares de animais mortos, centenas de milhares de hectares ardidos!

 

Foi isto que se voltou a passar! 

Uma verdadeira vergonha! 

Não há palavras para descrever a falta de qualidade das pessoas que lideram este país!

 

E o principal responsável por aquilo que aconteceu chama-se antónio costa, que nem merece que eu escreva o seu nome com letras maiúsculas.

 

Se em Junho ainda se admitia o benefício da dúvida, deixar que o mesmo erro se repetisse não tem qualquer tipo de perdão.

Este duplo erro tirou a vida a mais de 100 pessoas! O resto nem é importante comparado com vidas humanas.

 

O mínimo que se esperava era pedir desculpas e demitir-se...

 

Mas nem um pedido de desculpas e um assumir da culpa foi capaz de fazer em condições!

 

Quanto mais falar em demissão! Nem se esperava mais de alguém que fez de tudo para chegar ao "poleiro". 

 

Mas para resumir a incompetência de quem nos governa, deixo aqui uma música cantada por Fausto Vasconcellos, ao ritmo de Coldplay.

 

Está lá tudo o que interessa!

Reflitam!

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:38

Bom dia!!!

 

Já cá não venho há uns dias, mas este início de semestre tem sido bastante preenchido.

 

Mas hoje venho contar um episódio caricato. Acho que merece ser partilhado!

 

Bem, só para contextualizar a situação...

Como estudante de engenharia que sou, dou explicações! Sobretudo de matemática, porque é algo que gosto bastante.

 

Já dou explicações há alguns anos e às vezes acontecem episódios bizarros e que nos deixam de boca aberta.

 

Na sexta-feira fui dar a primeira explicação a um aluno.

Dificuldades a matemática... o costume. 

Décimo ano. Início do secundário, é normal que se sintam dúvidas, sobretudo se já existem dificuldades anteriores com a disciplina.

 

Foi a mãe que entrou em contacto comigo e pediu o que geralmente qualquer mãe que vê o filho a "navegar" pede.

"O meu filho entrou agora no 10º ano e precisa muito de alguém que o ajude a matemática, porque não está a acompanhar o ritmo das aulas".

Tratei de tudo com a mãe e a explicação ficou marcada para sexta-feira às 19 horas.

Uma hora e meia de explicação!

Assim foi.

 

O miúdo tinha 15 anos e andava nos Salesianos do Estoril.

Esse foi também um dos motivos porque decidi ajudar. Andava na minha escola. Na escola onde estive doze anos. E por isso era normal que estivesse com dificuldades. Não é uma escola fácil.

 

Pronto, mas até aqui tudo normal.

 

Cheguei a casa dele quando faltavam cinco ou seis minutos para as 19 horas.

Era uma moradia no Estoril. Toquei à campaínha e apareceu a empregada a abrir o portão.

Disse-lhe que vinha dar explicação de matemática ao Francisco e ela logo me disse que o quarto dele era no primeiro andar ao fundo do corredor.

Ainda fiquei à espera que viesse comigo mas não, desapareceu para a cozinha.

A casa era grande e o primeiro andar tinha várias portas logo fiquei meio às aranhas, até que vi que uma porta tinha vários autocolantes de marcas de surf. Pronto só podia ser ali...

 

Bati à porta uma vez.

Bati à porta duas vezes.

E bati uma terceira. E nada!

Chamei "Francisco, estás aí?"

 

Ouvi uma janela a fechar ou a abrir e alguns segundos depois abriu-me a porta.

"Ah desculpe, estava ali a fumar um cigarrinho, não ouvi..."

Eu disse que não tinha problema e fizémos as apresentações normais entre explicador e explicando.

 

Quando me preparava para começar o Francisco vira-se e diz isto: "Ah mas hoje não pode ser, porque tenho uma festa que começa às 20h e 30min em Lisboa e tenho que me ir vestir e tomar banho. Não dá tempo! Eu tinha dito à minha mãe que hoje não podia ser mas ela não ligou. Mas eu dou-lhe o dinheiro da explicação. Mas não diga nada à minha mãe".

 

Fiquei completamente parvo mas perguntei-lhe onde estava a mãe dele naquela altura e ele disse-me que só a via no sábado e no domingo. Era raro vê-la nos restantes dias porque chegava tarde.

 

Obviamente que nos minutos seguintes tive que lhe dizer que para além de não aceitar o dinheiro, que aquela seria a primeira e última vez que aquilo aconteceria.

 

Por vezes a culpa do insucesso escolar dos filhos deve-se muito à ausência dos pais.

 

Este é um exemplo claro disso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:35


Voluntariado #4

22.10.17

Estava finalmente em Montezuma!!

 

Depois de tantas viagens, de tantos quilómetros, o destino final apresentava-se diante dos meus olhos!

 

Eram sete e tal da manhã quando acordei. Por entre os panos da rede mosquiteira levantei-me e logo percebi o calor que se fazia sentir! Um "bafo" inexplicável!

 

Da janela do meu quarto, a vista era qualquer coisa de extraordinário.

Uma autêntica pintura! Parecia saída de um livro!

Quase que se tem que esfregar bem os olhos para perceber se é realidade ou ficção!

Não vou tentar descrever, porque "uma imagem vale mais do que mil palavras".

Por isso mesmo, a primeira fotografia desta publicação será precisamente a primeira imagem que tive daquele lugar, a vista da janela do meu quarto!

 

Fui tomar o pequeno-almoço, que seria quase sempre o mesmo até ao fim da minha estadia...

Arroz com feijão! Era isto que se comia lá ao pequeno-almoço.

Havia também panquecas, não muito bem feitas, bem como fruta, geralmente banana e melancia.

 

Fui tomar banho e arranjar-me! Não sabia ainda o que me esperava no meu primeiro dia!

Estava curioso. A vontade de conhecer aquele sítio era imensa, mas isso seria algo que teria mais do que tempo para fazer!

 

A casa de banho não era grande, mas não me podia queixar, só havia três rapazes! 

Por outro lado, as mais de 15 raparigas que dividiam os dois outros quartos, apenas tinham uma casa de banho para usufruir.

Por isso, não me podia queixar de todo :)

 

Quando experimentei, nessa manhã, o duche pela primeira vez, percebi que não ia haver água quente!

Mas como o tempo era tão abafado, água fresca sabia bem.

Para primeiro banho soube-me bem! Daí para a frente logo se veria se ia sentir falta de um banho quente...

 

Depois de um duche, ainda demorado, e de vestir uma roupa confortável , fui até à zona de convívio da casa. Era o lugar onde se faziam as refeições e onde se passava a maior parte do tempo.

Tinha mesas e cadeiras de madeira, uma estante com livros e pequenos artigos relacionados com o mundo aquático!

Uma das primeiras coisas que reteve a minha atenção foi um iphone, completamente inutilizável, que teria sido encontrado na água do mar e que fazia de adorno em cima de uma mesinha de madeira. Havia uma carapaça de tartaruga gigante em exposição no meio do chão, como nunca tinha visto igual, vários cestos para deixar o calçado quando se entrava na casa e na parede uns quadros com tarefas para os voluntários.

 

Foi então que a Nathalie, a bióloga que nos recebeu na noite anterior, reuniu os novos voluntários para explicar tudo aquilo que era necessário saber!

 

Explicou-nos de tudo um pouco!

 

Começou por falar das espécies de tartarugas que poderíamos encontrar por ali, falou do ciclo de vida delas, todas as fases pelas quais passa uma tartaruga, desde que nasce até que morre. Foi um pouco de história para nos cativar!

 

Depois, explicou de forma teórica tudo o que precisávamos de aprender para podermos realizar todas as tarefas que nos iam ser propostas ao longo do tempo que lá ficássemos.

Obviamente o tempo não ía ser igual para todos. Havia voluntários que lá ficavam apenas uma semana, outros duas, eu ía ficar três e por aí fora. Variava... 

 

Por fim, a parte mais importante era o quadro das tarefas, que estava colocado numa das paredes da sala e que diariamente apresentaria as tarefas e as funções que individual ou coletivamente seriam realizadas!

 

No entanto, como este era o nosso primeiro dia, podiamos ir fazer o que quiséssemos!

Ainda não tinhamos tarefas!

Só começariam no dia seguinte!

 

Obviamente peguei na minha mochila, na máquina fotográfica e fui à descoberta!

Dei o meu primeiro passeio por Montezuma!

Ainda foram algumas horas!

Visitei a vila que era muito pequenina, era basicamente composta por lojinhas de souvenirs, um supermercado, uma igreja, duas pizzarias, três ou quatro cafés onde serviam sandwiches e hambúrgueres, uma gelataria, um bar com música e várias barraquinhas onde se organizavam excursões! 

De resto, havia vários hostels e "hóteis".

Tudo rodeado por uma imensidão de vegetação incrível!

 

Depois de conhecer a vila, fui até à praia, que era espetacular!

Dei logo um mergulho e a primeira sensação que tive foi perceber que a água era quente! Era mesmo!

A praia era verdadeiramente incrível!

Uma praia selvagem, sem ninguém, com floresta por trás!

Era lá que ficava o viveiro, onde se armazenavam os ovos de tartaruga, até nascerem. Para assim assegurar que os ovos ficariam em segurança durante todo o processo. Quando nascessem, as tartarugas bebés eram devolvidas ao seu habitat natural!

 

Para primeiro dia, não podia ter pedido melhor!

Fiquei a conhecer um pouco, daquela que seria a minha "casa" durante mais de três semanas!

 

No próximo capítulo, começarei a falar do meu trabalho como voluntário!

 

IMG_1223.JPG

IMG_1225.JPG

IMG_1226.JPG

IMG_1227.JPG

IMG_1235.JPG

IMG_1240.JPG

IMG_1244.JPG

IMG_1245.JPG

IMG_1249.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1250.JPG

IMG_1251.JPG

IMG_1252.JPG

IMG_1257.JPG

IMG_1261.JPG

IMG_1262.JPG

IMG_1263.JPG

IMG_1264.JPG

IMG_1265.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1266.JPG

IMG_1267.JPG

IMG_1268.JPG

IMG_1284.JPG

IMG_1285.JPG

IMG_1286.JPG

IMG_1288.JPG

IMG_1289.JPG

IMG_1290.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1292.JPG

IMG_1293.JPG

IMG_1294.JPG

IMG_1295.JPG

IMG_1296.JPG

IMG_1300.JPG

IMG_1304.JPG

IMG_1307.JPG

IMG_1314.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1316.JPG

IMG_1317.JPG

IMG_1318.JPG

IMG_1326.JPG

IMG_1328.JPG

IMG_1332.JPG

IMG_1336.JPG

IMG_1341.JPG

IMG_1343.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1346.JPG

IMG_1351.JPG

IMG_1354.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:13


Voluntariado #3

12.10.17

Tinhamos acabado de chegar ao terminal de autocarros.

 

A Hazel disse-nos o que precisávamos de fazer!

Basicamente era preciso comprar aquilo que ela chamava de "master ticket", que correspondia a um bilhete que incluía todos os transportes necessários para chegar a Montezuma.

Custava cerca de 15 dólares.

 

Para se ter noção, a viagem de San José até Montezuma estava dividida da seguinte forma: duas horas e meia de viagem de autocarro desde San José até Puntarenas, em Puntarenas teríamos que esperar pelo ferry boat, cuja viagem demoraria cerca de uma hora e meia, de seguida apanhávamos o mesmo autocarro no qual tinhamos vindo até Puntarenas, porque esse autocarro vinha dentro do ferry, entrávamos nesse autocarro e fazíamos uma viagem de duas horas até Cobano onde trocaríamos de autocarro, autocarro esse que finalmente nos levaria até Montezuma, num percurso de cerca de 30 minutos.

 

Resumindo: um inferno de viagem!

Desde chover dentro dos autocarros, a autocarros sem portas e janelas, "estradas" que mais pareciam pistas de motocross e um ferry boat onde mais de metade dos passageiros tinha que ir de pé!

 

No entanto, para mim o momento mais marcante do percurso  foi durante a viagem de ferry boat!

Apanhámo-lo ainda de dia, mas como a viagem durou mais de uma hora, a parte final da viagem fizémo-la de noite e há um momento que vou recordar para sempre, tal foi o impacto!

É o momento em que estamos a chegar à península e cujo cenário é verdadeiramente imponente!

Noite cerrada, porque lá anoitece muito cedo, um único barco no meio do nada e à frente uma ilha gigante!

Só me vinha à memória as cenas do filme do King Kong, quando chegam à ilha!

Quem viu o filme do King Kong de 2005 é exatamente igual!

É impossivel não se ter receio, porque não se conhece nada nem ninguém e a atmosfera involvente é extraordinariamente inquietante! Sentes-te completamente perdido, sem saber o que vais encontrar! 

 

Foi assim que me senti, quando na parte de fora do ferry presenciei aquela imagem!

 

Foi duro!

Toda a viagem, desde San José, durou mais de sete horas!

Partimos às 14h e chegámos a Montezuma já depois das 21h.

 

Mas chegámos!

 

O autocarro parou e foi dado o alerta que tinhamos finalmente chegado a Montezuma.

Saímos do autocarro e fomos buscar as nossas malas, na esperança que estivessem intactas!

 

Depois pusémo-nos a caminho até ao destino correto: ASVO (Asociación de Voluntarios para el Servicio en Áreas protegidas de Costa Rica).

 

Comigo e com o Ricardo estavam mais sete voluntários, que acabámos por conhecer ao longo da viagem até Montezuma e que vinham com o mesmo propósito!

Tudo gente jovem, um casal de namorados alemães, uma rapariga alemã, duas inglesas e duas francesas.

Éramos nove no total!

 

O caminho a pé até à casa demorou cerca de cinco minutos!

Tivemos sorte... não estava a chover!

 

Quando cheguei à casa, percebi de facto para o que vinha!

Tinha paredes, já não era mau.

 

Fomos recebidos por uma bióloga, que encaminhou as raparigas para o seu quarto e os rapazes para o nosso.

 

Era eu, o Ricardo e o Alexander.

 

O nosso quarto, tinha seis bliches e não estava lá ninguém!

Foi a nossa sorte!!

Cada um ficou com duas camas. A de baixo para por as malas e as coisas de cada um e a de cima para dormir, até porque era mais fácil colocar a rede mosquiteira presa ao teto do quarto!

 

Fomos jantar! 

Massa com molho de tomate! Estava com tanta fome que me soube muito bem!

 

Depois do jantar estivemos um bocado à conversa com a bióloga e conheci o Ricardo Bonilla, que era um dos responsáveis pela ASVO ali na Costa Rica e que me ajudou logo com o wi-fi!! Estava desesperado para poder falar com os meus pais e amigos!

 

Fui me deitar ainda antes das 23h!

Estava completamente exausto!

 

No dia seguinte, iniciava-se oficialmente uma aventura inesquecível!

 

Até ao próximo capítulo!

IMG_1167.JPG

IMG_1170.JPG

IMG_1171.JPG

IMG_1172.JPG

IMG_1177.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1179.JPG

IMG_1183.JPG

IMG_1186.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1188.JPG

IMG_1191.JPG

IMG_1196.JPG

IMG_1198.JPG

IMG_1203.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

IMG_1204.JPG

IMG_1212.JPG

IMG_1214.JPG

IMG_1220.JPG

IMG_1221.JPG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:11

aaaa.JPG

 

Esta notícia circulou hoje por um grupo de whatsapp de amigos meus.

 

305mil euros por um T0 no Príncipe Real, em Lisboa!

 

Quando vi a notícia carreguei no link para a ver por completo.

 

Sei lá, ok são 300 mil euros, mas se tiver piscina, campo de ténis, segurança 24 horas e mais algumas regalias, aí tudo bem, compreende-se o preço.

 

Abri o link e os 305 mil euros referiam-se ao preço de um apartamento de características T0, no príncipe Real, com uma área total de 24 metros quadrados.

Ainda tentei encontrar ali mais alguma coisa, mas não...

 

Era isto!

 

Sinceramente, não sei muito bem o que diga.

É verdade que estamos a falar de uma das melhores zonas de Lisboa? Sim, é verdade! É um sítio brutal, em pleno coração da capital, mas tem que haver limites para o ridículo.

 

Primeiro, tenho dúvidas que alguém pague esse valor, porque está a ser claramente roubado.

Mas supondo, que existe alguém a "sacar" mais de 300 mil euros por um "quarto" com 24 metros quadrados, isto só vem mostrar o hype brutal que a cidade de Lisboa está a sofrer.

 

Lisboa está na moda, não haja dúvidas disso, até a Madonna está com dificuldades em arranjar casa, e essas dificuldades certamente não terão a ver com o preço das casas...

 

Mas pensar nestes valores é inimaginável!

É insustentável que isto se mantenha assim por muito mais anos.

 

A este ritmo, muito em breve estaremos perante uma nova bolha imobiliária, como aconteceu entre 2010 e 2013.

 

São valores astronómicos e sem sentido.

 

Mas como dizia alguém relativamente ao preço dos jogadores de futebol:

"um jogador vale aquilo que o mercado pagar".

 

Suponho que aqui o raciocínio seja igual!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:23

Lionel Messi e Cristiano Ronaldo são indiscutivelmente os dois melhores futebolistas do século XXI.

 

Quem disser o contrário, ou não percebe nada de futebol ou é intelectualmente desonesto.

 

Este século já assistiu a grandes jogadores, mas nenhum chega e penso que não chegará perto destes dois.

 

São dois jogadores completamente diferentes, com estilos antagónicos, maneiras de ser dentro e fora de campo distintas. 

Mas têm em comum a capacidade de fazer levantar estádios e espantar o mundo do desporto!

São dois génios!

 

Todos têm a sua preferência!

Todos!

Eu também tenho.

 

No entanto, por se preferir ou gostar mais de um, não se deve desprezar o outro.

São dois jogadores que se dão bem fora de campo! Ambos já o admitiram.

A rivalidade que existe é 99% dela promovida pela imprensa e pelo povo.

 

Não percebo como não se consegue gostar dos dois. É algo que tenho dificuldade em perceber!

 

No entanto, uma coisa é quando são os adeptos a manifestar a sua preferência. Outra bem diferente é quando responsáveis da FIFA ou da UEFA o fazem.

 

Há poucos anos atrás assistimos todos às tristes figuras de joseph Blatter, antigo presidente da FIFA, que não só considerou publicamente Messi o melhor jogador do mundo, como ridicularizou Cristiano Ronaldo.

 

Algo escandaloso e inacreditável.

 

Pouco tempo mais tarde foi acusado de corrupção no futebol e demitiu-se. Que surpresa, de facto!

 

Sucedeu-lhe Gianni Infantino no início de 2016.

 

Hoje este senhor disse isto: "Os anos 80 e 90 foram de Maradona, estes últimos dez foram de Messi. Maradona ganhou um Mundial. Messi tem de ganhar um também".

 

Estamos a falar do máximo responsável do futebol. Alguém que se deve manter isento, que não deve manifestar preferências.

Ele até pode ter esta opinião, mas não a pode tornar pública.

 

A juntar a isto, diz que Messi tem de ganhar um mundial. Isto, precisamente quando a Argentina está em risco de falhar o Mundial 2018 na Rússia! Neste momento, não depende de si para lá chegar.

 

No mínimo é uma frase que pode gerar controvérsia!

 

Se a Argentina se qualificar, pode haver segundas interpretações.

 

Mas acima de tudo é desrespeitar Cristiano Ronaldo.

 

O máximo representante do futebol dizer que os últimos 10 anos foram de Messi é considerar Cristiano Ronaldo igual aos outros, como se não estivesse ao nível do jogador argentino.

 

Inexplicável este tratamento que continuam a dar ao melhor jogador português de todos os tempos.

 

Mas é Cristiano Ronaldo.

A ele isto não lhe diz nada!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:03

O planeta Terra, um pouco por todo o lado, tem sido fustigado por constantes catástrofes naturais!

 

Quase todas as semanas ouvimos novas notícias de sismos, furacões, tempestades!

 

A verdade é que o que se está a passar, pelo menos para mim, não é surpresa!

 

Quando andava na escola, por volta do segundo/terceiro ciclo (há cerca de 10 anos atrás) tinha uma disciplina chamada área de projeto! 

Era uma disciplina que previligiava as apresentações orais, na altura ainda em cartolina e não através de meios digitais!

 

E lembro-me, é uma memória que sempre vou ter e que vou levar comigo para sempre, de o meu pai me ter comprado um livro publicado por Al Gore.

Quem não sabe, Al Gore foi um político norte-americano, mas acima de tudo foi e é um jornalista e um ecologista, alguém que estudou de forma muito profunda as alterações climáticas que o nosso planeta tem vindo a sofrer e que se acentuaram fortemente nos últimos 30 anos!

 

Todos sabemos o que está na génese destas alterações (combustiveis fósseis e a sua louca utilização!!!), não vou estar aqui a falar disso! 

 

O que sei também é que na altura fiquei fascinado com o que este homem disse e previa!

É um livro espetacular, com imagens, fotografias reais do antes e depois de alguns sitios do nosso planeta, gráficos e textos não muito longos com explicações simples!

É um livro que recomendo a qualquer pessoa! Chama-se "An inconvenient truth" e foi publicado em 2006! Lá está os tais dez anos que tinha falado!

 

A verdade é que desde a publicação desse livro já passaram quase 12 anos!

 

E o que eu tenho a dizer é isto: bateu tudo, ou quase tudo certo!

É triste dizer isto, mas é a realidade!

 

Algo que me lembro de forma muito clara, era qualquer coisa deste género "num futuro, não muito distante, fenómenos como furacões, ciclones, tufões, sismos, tsunamis" serão uma realidade do nosso dia-a-dia e não algo que ouvimos de seis em seis meses!

 

Acho que não preciso de dizer mais nada!

 

Esta foi uma das muitas frases que me ficou!

 

O grande responsável pelo que está a acontecer na Costa Rica, onde eu estive há pouco mais de um mês atrás, é o ser humano!

Não minha, nem sua, mas de quem tem o poder e de quem toma as decisões que fazem o mundo evoluir!

 

Há algo que a mim me traz alguma esperança, que é precisamente o curto prazo de validade que o petróleo tem!

Caso contrário, o Planeta Terra deixaria de existir! Isto é um facto! E só alguém que não percebe nada disto se poderá convencer do contrário!

 

Todas as catástrofes naturais que temos ouvido repetidamente, em loop, não são obra do acaso!

Existe uma razão para tal!

E todos sabemos o porquê!

 

Basta dizer que a pegada ecológica do nosso planeta esgotou este ano em Agosto!

Ou seja, nos meses que nos restam estaremos a consumir recursos a mais para a sustentabilidade do nosso planeta!

De forma muito simples é o mesmo que alguém que ganha 2000 euros por mês, os ter gasto nas primeias três semanas do mês!

Na última semana e meia tem que pedir dinheiro do próximo mês!

Acho que todos percebem o que quero dizer!

É uma bola de neve!

 

Para terminar quero só deixar o meu pesar pelas oito vítimas mortais que se verificaram na Costa Rica!

Um país que tem menos de metade da nossa população!

 

Por pouco que não estava lá! 

Estas coisas fazem-nos pensar!

Foi um mês de diferença!

 

Pura vida costarricenses!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:32

Acho que é o primeiro artigo que vou fazer sobre política!

 

Mas acho que é um assunto importante e sobre o qual é necessário falar e discutir.

 

Assistimos há uma semana a uma derrota histórica, ímpar, como não há memória, de um dos maiores partidos políticos em Portugal!

 

O Partido Social Democrata foi vergado nas eleições autárquicas!

 

Consequência?

Pedro Passos Coelho assumiu que não se iría recandidatar!

 

Se tal facto era algo, que antes dos resultados, já era expectável, então depois era óbvio que iria acontecer.

Perante uma derrota tão expressiva, era inevitável este desfecho!

 

A verdade é que há muito que não se via o PSD a afogar-se!

E neste momento parece que ninguém o ajuda a voltar à tona! 

 

Luís Montenegro, Paulo Rangel e Pedro Duarte estão fora!

 

Percebe-se? Penso que sim!

 

Ninguém se quer "queimar". 

 

Neste momento existe uma supremacia clara do PS, que nos últimos dois anos tem conseguido uma popularidade cada vez maior, o que o deixa numa posição amplamente favorável para as legislativas de 2019!

 

Neste momento, é impensável pensar que o PSD poderá discutir a vitória com o PS daqui a dois anos.

Mas há dois anos também era impensável pensar que o PSD chegaria a este ponto!

Ao ponto de ter ficado atrás do CDS na câmara de Lisboa! É só a capital!

 

No entanto, falta alguém pronunciar-se!

Há um peso-pesado, onde os sociais democratas depositam as "fichas todas".

Será provavelmente o único que poderá discutir alguma coisa!

Ex-primeiro ministro, ex-presidente do Sporting Clube de Portugal!

 

Pedro Santana Lopes

 

Há momentos em que se tem que dar a cara!

É nos momentos complicados que se tem que dar o exemplo.

 

E se existe alguém que pode e deve aparecer neste momento é Pedro Santana Lopes.

 

O silêncio nestas alturas é ensurdecedor!

O silêncio por norma significa meditação! Significa que se está a deliberar!

 

Veremos se e quando sairá o fumo branco.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:19


Mais sobre mim

foto do autor



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D